Moradores reclamam de vizinhos que jogam lixo em fundo de vale

Nas redondezas da Rua Borba Gato que margeia o fundo de vale do Ribeirão Cambezinho, na região do Novo Bandeirantes, existe um contraste de comportamento entre os moradores. Enquanto uns plantam flores e árvores, outros criam animais e descartam lixo, entulhos, resíduos de construções, móveis velhos, entre outros materiais em toda a extensão da rua. Isso vem causando conflitos e gerando muitas reclamações, em especial daqueles que querem manter o ambiente limpo e agradável.

É o caso da Senhora Janaina Soriane que diz não saber mais o que fazer para resolver a situação. “Moro bem perto do fundo de vale e fico incomodada em ver um lugar que poderia ser utilizado para lazer todo sujo e servindo como criadouro de insetos, ratos e tantos outros animais que invadem nossas casas e podem até transmitir doenças”, reclama.

Janaina cita o exemplo de um vizinho que trabalha como jardineiro e usa o local para descartar os restos de podas, galhos e outros entulhos que retira das residências onde presta serviços. “Já reclamei com ele, mas de nada adiantou. Como é que pode uma pessoa trabalhar limpando as casas da cidade e jogar todo esse lixo perto de onde nós mesmos moramos e não entender que ele também está sendo prejudicado?”, pergunta.

Para Ágata Moreira, que mora há mais de 20 anos na região, o fundo de vale sempre foi usado como depósito de lixo. “Não dá para ver quem joga porque aqui perto da minha casa isso acontece à noite. De vez em quando é feito algum tipo de limpeza, mas não adianta, porque no outro dia está cheio de lixo novamente. Parece que as pessoas perderam a consciência”, diz.
Já Lindalva dos Anjos é mais taxativa e aponta os locais onde os moradores usam o terreno em frente as próprias casas. “Eles pensam que o local é propriedade deles e fazem todo o tipo de anarquia que podem. Se a gente vai falar alguma coisa eles ainda nos xingam e nos mandam calar a boca”, desabafa.

Nossa reportagem tentou conversar com alguns moradores que usam o fundo de vale como depósitos de entulhos, mas ninguém quis falar sobre o assunto.


Na mesma rua, o lixo contrasta…


…com locais preservados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


WhatsApp chat
%d blogueiros gostam disto: