Festival Regional de Pipas reúne comunidade no Ana Eliza 3 em Cambé

O encontro foi um momento de diversão para as famílias

Aos finais de semana, o céu sobre a pista de caminhada do Ana Eliza 3 se colore com pipas de todas as cores enquanto os moradores da região observam e participam com família e amigos do Festival Regional de Pipas em Cambé. No último domingo (5), o vento forte e o céu limpo favoreceu a atividade, que reuniu a comunidade durante o dia todo.

Marcio levou mais de 130 pipas para distribuição gratuita

O principal organizador em Cambé, Marcio Cabral, proprietário da loja MV Pipas, é amante da atividade e faz dela um meio rentável para sua família. Desde quando o parque foi construído (há 3 anos) ele se reúne com outros ‘pipeiros’ para realizar o evento. Cabral vende pipas durante o encontro em sua tenda, mas também distribui gratuitamente para crianças.

Para Marcio, soltar pipa é um meio seguro e divertido de tirar as crianças das ruas e aproximar mais as pessoas da comunidade. “Além da diversão que as pipas trazem, a importância de reunir essas pessoas é promover mais a interação entre os moradores e voltar a atenção dos jovens para uma atividade que faz bem e em um local seguro”.

Pessoas de todas as idades participaram do encontro no último domingo

Ricardo da Silva, proprietário da Carioca Pipas, também é um grande incentivador da atividade. Ele promove encontros como esse em Londrina, onde tem a loja, mas participa sempre em Cambé . “ Não podemos deixar essa prática morrer, soltar pipa é uma arte milenar e é a brincadeira de rua que mais tem sobrevivido nos dias de hoje. Agora as pessoas só ficam atrás de tecnologia e não interagem mais um com o outro”, destaca Silva.

O estudante Everton Raniel Junior, de 16 anos, é morador de Londrina e acompanha Ricardo nos encontros de pipeiros. Junior empina pipa desde criança e mesmo na era dos smartphones ele dedica boa parte do seu final de semana praticando a atividade. “Gosto muito de participar desses encontros, empino pipa desde criança e pra mim é uma alegria continuar praticando e vendo outras pessoas fazendo isso também’’, declara o estudante.

Além dos organizadores, Carlos Nascimento e Giuliano Benzoni, que estavam presentes no encontro, fazem parte da Associação dos Pipeiros do Paraná (APP). Fundada em 2017, a APP tem o objetivo principal de transformar a atividade de soltar pipa em esporte e conquistar espaços especiais para a prática. Além disso, em todos os eventos apoiados pela associação há a arrecadação de alimentos para instituições carentes.

O encontro vai acontecer novamente no próximo domingo (12), a partir das 8 horas.

Em sua tenda o proprietário da MV Pipas também vende acessórios para a prática

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


%d blogueiros gostam disto: