Boletim confirma 530 novos casos de dengue no Paraná

 Secretaria de Estado da Saúde confirmou 530 novos casos de dengue no Estado, conforme o boletim divulgado nesta terça-feira (9). O balanço desta semana indica o total de 2.553 casos da doença, contra 2.023 na semana anterior.

Também foi confirmada uma morte por dengue em Cascavel – uma mulher de 80 anos, portadora de hipertensão arterial e diabetes, que contraiu a doença na cidade onde residia. Agora, são três mortes causadas pela doença no Estado. Os outros dois casos foram registrados em Londrina, em pessoas que moravam no município.

O secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, destaca que a dengue é enfrentada com ações em parceia com os municípios e com apoio de todas as Regionais de Saúde. “Nossa mobilização é permanente, com atividades de orientação de combate ao mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zíka vírus em todas as cidades. Mas, precisamos da ajuda da população para a eliminação de focos, mantendo os quintais e terrenos limpos, sem lixo acumulado e sem recipientes com água parada”, alerta.

A médica veterinária da Secretaria da Saúde, Ivana Belmonte, explica que além da remoção de criadouros, um trabalho mais aprofundado é feito nos municípios. “Diante dos casos notificados, as equipes de Vigilância fazem a busca ativa por focos e criadouros em um raio de nove quarteirões do local de contaminação”.
O Paraná também registrou o primeiro caso autóctone de Zika Vírus, em São José dos Pinhais. Um homem, de 37 anos, contraiu a forma leve da doença e passa bem.
 

INCIDÊNCIA – A incidência da dengue no Estado é de 21,74 casos por 100 mil habitantes. O Ministério da Saúde classifica como baixa incidência quando o número de casos autóctones é menor do que 100 por 100 mil habitantes.

Os municípios com maior incidência de dengue são: Japurá, Francisco Alves, Lupionópolis, Uraí, Santa Mariana, Itambé, Rancho Alegre, Leópolis, Abatiá, Cafeara, Moreira Sales e Santo Antônio do Paraíso.
Seguem em risco de epidemia 78 municípios e 117 estão em estado de alerta. (AEN)


Cambé apresenta médio risco de infestação da dengue
O 2º Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti (LIRA’a) de Cambé de 2019, realizado entre 18 e 23 de março, constatou que a cidade apresenta 1,6% de infestação do mosquito.

Em relação ao primeiro levantamento, realizado em janeiro, o índice caiu 0,1%, mas mesmo com a queda, o número representa médio risco de infestação e ocorrência da doença, de acordo com o que determina o Ministério da Saúde. De agosto de 2018 até agora, foram confirmados 35 casos e 701 suspeitas foram notificadas na cidade.

Segundo Barbara Radigonda, coordenadora da Vigilância Epidemiológica, o período de chuvas e o aumento da temperatura contribuem muito para a proliferação do mosquito, mas grande parte dos focos de dengue pode ser reduzida se a população colaborar mais. “O acúmulo de lixo dentro de casas e terrenos vazios e a falta de verificação em vasos de plantas e materiais que acumulam água contribuem muito para o aumento do índice do mosquito”, completa. A região onde há mais casos confirmados é a dos jardins Silvino e Novo Bandeirantes.

Só nesses dois bairros 14 pessoas estão com dengue, o que equivale a 40% de todos os casos da cidade.

A coordenadora do Departamento de Endemias, Nelci Mariano, explicou que as ações de combate ao mosquito têm sito feitas de forma intensiva principalmente nas regiões onde há o maior número de casos. Ainda segundo Nelci, nas ações de combate à dengue os agentes solicitam a todos os moradores que retirem os materiais que geram focos do mosquito nas residências para que eles sejam recolhidos e descartados corretamente.

“Além de retirar os entulhos das casas, os agentes fazem a vistoria para conferir se há mais focos de dengue em vasos de plantas, caixas d’água e em outros objetos”, completa. De acordo com a Agência Estadual de Notícias, no Paraná já são 962 casos confirmados e seis municípios estão em alerta de epidemia – Itambé, Moreira Sales, Rancho Alegre, Santa Mariana, Nova Londrina e Capanema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


%d blogueiros gostam disto: